Aposentado é o retrato do descaso de Mamoru com a Saúde em Itaquá

Médico, prefeito de Itaquaquecetuba abandonou a rede municipal de Saúde; sr. Adalto passa o dia na cama e não recebe visita médica. Foto: Renan Xavier
Por Lailson Nascimento
 
 
Deitado sobre um colchão improvisado no chão do quintal de sua casa, o aposentado Adalto Augusto da Cruz, de 59 anos, passa o dia reclamando de dores pelo corpo. Com as duas pernas amputadas, devido à diabetes, ele não conta com visitas regulares de médicos em sua residência. Morador do Jardim Amazonas, Augusto vai ao posto de saúde somente a cada dois meses, já que a unidade mais próxima fica no Jardim Caiuby. A dificuldade de acesso do aposentado à rede municipal de Saúde é enfrentada pela maioria dos moradores do bairro.
 
Pai de 15 filhos, Augusto é morador da rua Nova Odessa. A cabeleireira Déli Santos, que mora no mesmo quintal e é uma de suas filhas, reclamou à reportagem que a prefeitura já se comprometeu a enviar um médico na residência de Augusto, para que haja o acompanhamento correto da doença, mas isso nunca ocorreu. “Pelo contrário. Nas diversas vezes que meu pai passou mal, nem o SAMU veio até aqui, que dirá um médico”, desabafa.
 
SEM POSTO
 
A dona de casa Dézia Maria Mendes da Cruz é esposa de Augusto. Fazendo questão de mostrar à reportagem a situação de vulnerabilidade a qual o marido está exposto, ela revelou que a prefeitura prometeu construir um posto de saúde no bairro, mas o projeto não teria sido levado adiante. “Placas indicavam que o posto seria entregue em 2015, mas não há um único tijolo assentado. E o pior: até as placas eles retiraram. Ficou só na promessa, como tudo no governo do Mamoru”, ironiza.
 
Para Dézia, se o posto de saúde atendesse a população do bairro, problemas de saúde como o de seu marido contariam com acompanhamento médico necessário. “Hoje, todos nós dependemos do posto de saúde do Jardim Caiuby ou mesmo da UPA, que fica no mesmo bairro. O problema é que, para quem não tem carro, a situação complica. Meu marido mesmo só vai às consultas de dois em dois meses, porque o ônibus passa a cada duas horas aqui no bairro. Não dá para sair daqui (Jardim Amazonas) empurrando uma cadeira de rodas até o Caiuby”, lamenta.
 
SEM AMBULÂNCIA
 
A também dona de casa Raimunda Souza de Jesus concorda com as críticas de Dézia, acrescentando que a “saúde em Itaquaquecetuba está um caos”. Dependente de hemodiálises pelo menos três vezes por semana, a moradora do Jardim Amazonas já não conta mais com as ambulâncias oferecidas pela prefeitura.
 
“Os veículos estão todos sucateados. Ultimamente, tenho preferido pagar condução. De vez em quando, recorro aos parentes, e pego uma carona para ir e voltar. Só não confio mais nas ambulâncias da prefeitura, porque já vi carro pegando fogo, já estive em uma que quebrou no meio do caminho, enfim, o setor de ambulâncias está um caos, assim como a saúde no geral”, denuncia.
 
SEM PAVIMENTO
 
Quem também tem dificuldades de acesso à rede municipal de saúde é o pedreiro Joelson Pereira dos Santos. Pai de três filhas, ele depende do serviço público ao menos duas vezes por semana, já que a filha mais velha sofreu um transplante de fígado. Embora tenha carro, no caso dele, são as más condições de conservação da rua Morro Agudo, onde reside, que lhe causam problemas.
 
“Quando chove, é um problema, porque o carro escorrega para todos os lados. A gente joga entulho, tenta dar uma tapeada, mas não adianta. Estamos ilhados no Jardim Amazonas, porque não contamos com posto de saúde, não temos boas ruas, é uma situação de total abandono”, conclui.
 
PREFEITURA
 
Em nota, cujo teor segue na íntegra, a prefeitura não explicou o motivo de ter desistido da construção do posto de saúde no Jardim Amazonas.
 
“A Rede Municipal de Saúde conta atualmente com 19 Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Atualmente estão em construção 7 novas unidades nos bairros Jardim Zélia, Pequeno Coração, Scaffid, Marengo, Horto do Ipê, Jardim Fortuna e Jardim Napoli, com previsão de finalização das 7 obras ainda em 2016. Quanto à questão do Jardim Amazonas, a construção de uma UBS no Jardim Amazonas está em estudo pela municipalidade. Os moradores deste bairro são atendidos na unidade localizada no Jardim Caiuby. Quanto ao senhor Adauto Augusto, a Secretaria Municipal de Saúde entrará em contato com o munícipe para avaliar qual será a melhor forma de atendê-lo, e prestar o apoio necessário”.

Comentários no Facebook