ARTIGO: E-Commerce: 3 Dicas para melhorar o processo de compra da sua loja virtual

Diariamente são disponibilizados novos dados sobre as vendas on-line. Informações referentes ao crescimento, faturamento, pedidos, produtos mais vendidos, taxas de conversão, etc. Para se ter uma ideia, a expectativa é que o e-commerce brasileiro alcance R$ 59,9 bilhões em vendas em 2017, um crescimento de 11% em relação ao ano anterior, segundo projeção da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). De olho nisso, os varejistas que já possuem uma operação digital traçam suas estratégias visando a integração de lojas físicas com ações omnichannel.

“Tudo muito válido, porém, às vezes, o que precisamos é analisar os dados de mercado e revisitar os conceitos básicos do digital, fazer um check-up se realmente estamos aplicando o essencial, que é um dos principais aspectos que irá nos auxiliar a rentabilizar a nossa operação e maximizar nossas vendas”, destaca Caroline Giordani, Chief Operating Officer da GS&COMM, empresa full service em soluções de gestão, projetos de varejo eletrônico e omnichannel do Grupo GS& Gouvêa de Souza.

A especialista em e-commerce relaciona algumas informações de mercado e dá três dicas simples, porém básicas e úteis, para quem busca melhorar o rendimento da sua loja on-line:

A conveniência é o fator mais relevante para o consumidor decidir comprar on-line. “Isso mesmo. Muito mais importante do que preço e promoção, conveniência é fator essencial nessa decisão”, destaca Caroline. Conveniência no processo de compra pode ser traduzida de muitas formas, mas ela destaca os conceitos de Otimização de tempo, Mobilidade e Experiência do usuário.

Otimização de tempo: o cliente não precisa ir até uma loja física para pesquisar preço, obter informações sobre o produto ou realizar a compra.

Mobilidade: com o uso massivo de dispositivos móveis, o cliente consegue receber o estímulo da compra, realizar pesquisas, “namorar” o produto e finalizar a compra em diferentes momentos do seu dia, diretamente pelo seu smartphone. Recentes pesquisas indicaram que, em 2016, quase 20% das vendas on-line no Brasil foram feitas através de dispositivos móveis (o que representa crescimento de 100% em relação a 2015). Porém, a taxa de conversão do mobile ainda é muito baixa. No Brasil, a média de conversão no mobile é de 0,6%, enquanto no desktop é de 1,8%.

Experiência do usuário: quanto maior facilidade na navegação da loja digital, incluindo a possibilidade de comparação de atributos de produtos e preços entre diferentes lojas, maior a chance do cliente tomar uma decisão mais assertiva, munido sempre de informação.

3 dicas para melhorar o processo de compra da sua loja virtual

“Tendo isso em mente, podemos pensar em três aspectos para revisarmos na nossa loja auxiliam o processo de compra”, sugere a especialista. São elas:

1. Conteúdo. Para Caroline, ele deve ser o oxigênio da nossa loja. “Quanto mais informações e mais rica e relevante ela for, auxiliamos imensamente o nosso cliente. Se conveniência é um dos fatores principais no processo de compra, não é lógico pensarmos que o conteúdo tem ser bem desenvolvido?”, destaca. O cliente, ao acessar a loja, deve encontrar de forma simples e rápida todas informações importantes no processo de compra. “Imagine o cliente acessando nossa loja on-line, porém ele precisa ligar a uma Central de Atendimento ou mesmo ir até uma loja física para obter mais informações e aí sim ter a certeza sobre a compra. Esse processo deixou de ser conveniente, ao contrário: tornou-se mais moroso. Devemos focar na melhoria contínua na descrição de produtos, inserção de atributos, fotos de vários ângulos, vídeos, resenhas… tudo que possa deixar o cliente mais seguro e confiante da compra”, explica Caroline.

2. Busca e categorização. Quando o cliente acessa a loja, ele deve conseguir, de forma intuitiva e rápida, se “achar” e navegar pelos diversos departamentos disponíveis. “Ao fazer uma busca, o resultado deve ser apresentado de forma otimizada. Ações de melhoria, como a frequente revisão da árvore mercadológica da sua loja é muito importante. Faça um tour virtual e veja se, conhecendo a loja física, também acharia o que precisa no site. No mobile, principalmente, esse quesito é importantíssimo e fator-chave para aumento da taxa de conversão”, orienta.

3. Pagamento. O processo de pagamento no e-commerce deve ser rápido. “Quanto menos etapas tiver o processo, maior será a chance de conversão. Não queremos que na loja on-line aconteça o mesmo que em muitas lojas físicas de departamento: o cliente tem o desejo de comprar, entra na loja, pesquisa, experimenta, decide sobre a compra, porém, quando está na fila do caixa desiste pela demora. (quem nunca?!). No digital a análise é semelhante: o cliente não pode perceber que está pagando, o processo deve ser muito rápido. Temos que trazer para a nossa loja a uberização do pagamento, o cliente não precisa abrir a carteira e nem apertar nenhum botão. O processo é fluido, transparente, mas fluido”, sugere a especialista.

“Pense nesses aspectos. São aspectos primários, porém muito eficientes. Vale a pena revisitá-los”, orienta a COO da GS&COMM, Caroline Giordani. (Com informações DINO)


Comentários no Facebook