ARTIGO: Em quem vou votar?

Por Paula Nunes*

As eleições municipais de 2016 já estão batendo nas nossas “portas” e junto com elas vem uma grande dúvida: “Em quem vou votar”?

Parece exagero se questionar por isso agora, mas não é, o município de Itaquaquecetuba está passando por um momento que podemos chamar de “carência eleitoreira”, já que não temos candidatos “carimbados” em quem possamos depositar o nosso voto com base no seu passado de lutas e conquistas pela nossa cidade.

Muitos dirão que a renovação é necessária e que chega dos mesmos, o que é a mais pura verdade, renovar representa o recomeço no caso de o modelo ou representantes que temos atualmente, não estejam atendendo às nossas expectativas, mas renovar sem avaliar as opções e, principalmente, os seu comprometimento pode se tornar um grande risco, para exemplificar podemos citar a nossa seleção brasileira e o seu momento atual, uma reformulação é mais do que necessária, queremos um novo time que tenha condições de nos recolocar no caminho das conquistas dentro das quatro linhas, mas sabemos que um time, inteiramente, jovem e sem comprometimento, por mais vontade e garra que tenha, pode sucumbir perante a sua própria imaturidade, por isso para a escolha dos jogadores é necessário avaliar a sua qualidade, o seu momento e o seu histórico.

Na política é a mesma coisa, se colocarmos os poderes Executivo e Legislativo nas mãos de quem não têm o real interesse no trabalho dedicado ao Município, estaremos colocando em risco os próximos quatro anos da nossa cidade, no mínimo, e é essa preocupação que cresce a cada dia, pois, quem são os candidatos “tarimbados” e comprometidos que temos em Itaquá, hoje?

Somente em outubro é que saberemos realmente a composição de cada partido e quem estará pleiteando o nosso poderoso e importante voto, mas principalmente, teremos ideia de como será o cenário político que nos aguarda em outubro de 2016.

*Paula Nunes é membro da Direção Estadual do PT – SP.


Comentários no Facebook