ARTIGO: Resoluções de Ano Novo

Por Paulo Skaf*

Últimas horas do ano, momento de reflexão e projetar as expectativas para o ano que se inicia. Raros são os que não fazem uma lista de desejos. Decidi fazer uma também. Mas um pouco diferente. Em nosso último bate papo de 2015, quero compartilhar a minha lista de compromissos para 2016 e as ações vou adotar para que aconteçam. Sim, porque não basta desejar, é preciso planejar, traçar metas, colocar a mão na massa e monitorar os resultados. E, se preciso, mudar os rumos. Só não vale desistir. Num momento em que os desafios se agigantam, é hora de cerrar fileiras com quem gera e mantém empregos, com quem pode garantir a sustentabilidade não só da economia, mas do País.

Vamos à lista:

Desonerar a atividade dos pequenos negócios e combater a ‘morte súbita’, com a aprovação da PLC 125/2015, mais conhecida como Crescer sem Medo. O principal foco é garantir uma transição mais suave do Simples para os regimes do Lucro Real e do Lucro Presumido. Entre as principais alterações estão o aumento dos valores para enquadramento para MEIs, micro e pequenas empresas e a diminuição de 20 para sete faixas de tributação. Mais de 500 mil empreendimentos podem ser beneficiados e estimulados a crescer.

Amplificar o movimento “Não vou pagar o pato”, com firme cobrança do verdadeiro ajuste das contas públicas no lugar da ressureição da famigerada CPMF e aumento de outros impostos, elevando a carga tributária de um país que já paga R$ 2 trilhões em impostos por ano, é um absurdo. Já recebemos o apoio de mais de 1 milhão de brasileiros.

Regulamentar a atividade terceirizada, que vai garantir a segurança a 1 milhão de empresas que já prestam serviços e aos 15 milhões de empregados formais que ali trabalham, além de gerar 2 milhões de novos empregos.

Ampliar as ações de orientação e capacitação em gestão, com realização de quase 1 milhão de atendimentos a donos de pequenos negócios, microempreendedores individuais e futuros empreendedores. Porque continuo acreditando que capacitação e educação de qualidade são os melhores instrumentos para se sobressair num mundo cada vez mais competitivo. E vamos começar já em fevereiro, com a realização da Feira do Empreendedor 2016 (link).

Intensificar a aproximação entre projetos e empresas inovadoras e investidores (anjos). O Brasil que funciona está desenvolvendo projetos e produtos inovadores, com alto grau de tecnologia e criatividade.  Precisa de apoio para acelerar e entrar no mercado como empresas de alto crescimento, aquelas cujo índice de pessoal ocupado assalariado aumenta pelo menos 20% ao ano por um período de três anos e tem 10 pessoas ou mais ocupadas no início das atividades. Hoje no Brasil apenas 0,7% do total das empresas, de todos os portes, podem ser chamadas assim.

Dizem que maioria dos itens das listas de desejos para o Ano Novo não sobrevive à segunda quinzena de janeiro.  A nossa será exceção. Reafirmo com vocês minha determinação em continuar trabalhando para que o setor produtivo brasileiro, em especial os pequenos negócios, encontrem as melhores condições para desenvolver e consolidar suas atividades. Porque livre iniciativa forte é sinônimo de Nação forte, saudável e sustentável.

Desejo que em 2016 os desafios e as adversidades se transformem em oportunidades de superação e crescimento. E contem com o Sebrae-SP para cumprir a sua lista de desejos.

*Paulo Skaf é Presidente do Sebrae-SP e da FIESP.


Comentários no Facebook