Comissão Processante inicia fase de oitivas em Itaquaquecetuba

Foto: Ronaldo Andrade

A Comissão Processante da Câmara Municipal de Itaquaquecetuba, instaurada para apurar a denúncia da utilização da área da Secretaria de Serviços Urbanos (SSU) como um aterro irregular para materiais inertes, iniciou nesta quinta-feira, dia 10, a fase de oitivas. O ex-secretário da pasta, Laerte Vanderley foi a primeira testemunha a ser ouvida pela CP.

O objetivo da Comissão Processante que é formada pelos vereadores Silvani de Paula Lima (Presidente), Roberto Carlos do Nascimento Tito, o Carlinhos da Minercal (Relator) e Roberto Letrista de Oliveira (Membro), nesta fase de oitivas, é buscar informações que auxiliem no esclarecimento quanto a denúncia feita por um munícipe que diz que a secretaria não teria autorização dos órgãos competentes para receber tais materiais.

Laerte Vanderley enfatizou em suas declarações que quando assumiu a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, o pátio da secretaria estava limpo, sem lixou ou materiais inertes e ao pedir demissão entregou o pátio como recebeu. Laerte pontuou também que um dos motivos de ter pedido exoneração do cargo foi a pressão que sofria para descarregar lixo no local.

Segundo o presidente da Comissão, novas testemunhas deverão ser chamadas para prestar depoimentos sobre o caso, além de documentos que serão solicitados, tendo como objetivo esclarecer todos os pontos referentes à denúncia.

Além dos vereadores que compõem a Comissão Processante e do ex-secretário Laerte, também estiveram presentes o vereador Rolgaciano Fernandes Almeida e Mauricio Bonfim, advogado e representante do chefe do Poder Executivo. (Com informações da Assessoria de Imprensa da CMI)

Entenda o caso aqui.


Comentários no Facebook