Entrevista com o Delegado Dr. Eduardo Boigues

Marcello Barbosa

Região em Contexto: Quem é o Delegado Dr. Eduardo Boigues? Como você decidiu seguir carreira na polícia?

Dr. Eduardo Boigues: Sou nascido em Presidente Prudente, criado em Alvares Machado, cidade onde meu avô foi prefeito duas vezes, estudei Direito na Universidade do Oeste Paulista em Presidente Prudente. Me formei com 21 anos, passei na OAB e vim estudar e trabalhar em São Paulo. Durante o Cursinho Preparatório para passar em Concursos Públicos, não possuía muitas condições de continuar estudando, eu tive como “alvo” o concurso para Promotor Público e Delegado de Polícia. Passei no concurso de Delegado depois de três anos estudando, com 24 anos. Tudo aconteceu muito naturalmente. A cultura árabe chama isso de “Maktub” que significa “Estava escrito”. Estou a quatorze anos como Delegado de Polícia. Entrei direto como Delegado. Iniciei na Vila Carrão em São Paulo, fui para a Cohab II de Itaquera, Robru, Lajeado, Itaim Paulista, Santo André e Suzano. Estou em Itaquaquecetuba desde 2006.

Região em Contexto: Quais principais desafios que você encontrou ao chegar na cidade?

Dr. Eduardo Boigues: A falta de estrutura foi o maior problema. A criminalidade muito avançada e a falta de estrutura. O município é considerado um patinho feio na região, nosso desafio sempre foi colocar nossa cidade no mesmo patamar das outras cidades do Alto Tietê.

Quando eu tive a oportunidade de trazer a DISE (Delegacia de Entorpecentes) para cá, me chamava a atenção o seguinte: Mogi das Cruzes possuía na época doze unidades da polícia civil, Itaquaquecetuba só tinha duas. Como podemos ter duas cidades com um número de habitantes tão similar, mas com um número de unidades da polícia civil tão diferente? Então nós conquistamos a DISE para cá e foi bom para a cidade.

Região em Contexto: Quais avanços além da DISE foram alcançados na cidade nesse período que você esteve como delegado em Itaquaquecetuba?

Dr. Eduardo Boigues: A criação da Delegacia de Homicídios. Veja bem, formalmente a Seccional de Mogi das Cruzes só teria um setor de homicídios, mas o Alto Tietê é enorme, antigamente a população tinha que ir depor em Mogi das Cruzes. Hoje a Delegacia de Homicídios de Mogi das Cruzes atende todo o Alto Tietê, porém, Itaquaquecetuba hoje possui uma Delegacia exclusiva de homicídios.

Região em Contexto: Depois da conquista da DISE e da Delegacia Homicídios, qual perspectiva para avançar mais? Quais próximos objetivos?

Dr. Eduardo Boigues: Um sonho é a Delegacia da Defesa da Mulher.

Região em Contexto: Como que está a situação da possível vinda desta Delegacia? O Governo do Estado está empenhado?

Dr. Eduardo Boigues: Desde o Governo passado, fizemos uma série de solicitações, o maior problema sempre foi a falta de recursos humanos. Atualmente o projeto está aguardando encaminhamentos da Prefeitura. Eu estou pessoalmente acompanhando isso. Acredito que a Delegacia será uma realidade em breve.

Região em Contexto: Você sempre acompanhou o Conseg (Conselho Comunitário de Segurança), você visualiza algo que venha fortalecer este Conselho?

Dr. Eduardo Boigues: Outro sonho é criar um Conseg no Caiuby. Além de criar mais um Conselho Tutelar porque a cidade precisa. O Conselho Tutelar faz um trabalho brilhante na cidade, muitos dos casos que veem até a Delegacia tem justamente a raiz do problema em problemas familiares. E o Conseg no Caiuby é justamente para popularizar sua atuação, dividir o trabalho com mais pessoas.

Região em Contexto: O que falta atualmente para criar o segundo Conseg e o segundo Conselho Tutelar?

Dr. Eduardo Boigues: Para criar o Conseg falta voluntariado. Ação voluntária como pessoas que já fazem parte do atual Conseg, pessoas que se dedicam a esta causa. E precisamos de vontade da Prefeitura para criar um segundo Conselho Tutelar.

Região em Contexto: Nos últimos tempos a imprensa tem noticiado dados importantes sobre a queda da criminalidade na cidade. O que você destacaria?

Dr. Eduardo Boigues: Estou na Homicídios desde o final de 2007, nos últimos dez anos tivemos mais de 66% de redução de homicídios, sendo 47% de diminuição é do primeiro trimestre deste ano comparado ao primeiro trimestre de 2013. Para uma Delegacia com quatro policiais, dois escrivães, um delegado, nós temos números incríveis. Quando eu trouxe a DISE, criamos um setor para cuidar somente de homicídios, hoje avançamos e desvinculamos da DISE.

Região em Contexto: Como que é o Dr. Eduardo fora da rotina da Delegacia? Seu hobby? O que você gosta de fazer nos momentos de folga?

Dr. Eduardo Boigues: Sou um grande Paizão! Sou 24 horas minha família. Eu chego cedo e saio tarde. Mesmo chegando as 22h, minhas crianças estão lá me esperando. Nos fins de semana e feriados, sempre saímos, vamos ao parque, ao shopping, cinema, o que podemos fazer juntos, nós fazemos. Amo minha família, sempre visito meus pais. Além disso gosto de jogar futebol como bom corintiano que sou, inclusive já fui ao Itaquerão com meu filho e gosto de malhar.

Região em Contexto: Qual sua mensagem aos leitores do Portal?

Dr. Eduardo Boigues: Quero falar que estamos em uma luta diária a favor da segurança pública, não é fácil mas estamos conseguindo avançar, com a força de vontade de todos, temos que todos nos doar um pouco para a cidade, temos que levar a cidade onde ela merece estar, entre as primeiras cidades em desenvolvimento.

Se depender do trabalho da polícia e da minha pessoa, estaremos sempre ao lado de vocês e vamos reduzir cada vez mais a criminalidade na cidade.


Comentários no Facebook