Festa do Akimatsuri conta com apoio da Lei de Incentivo à Cultura

Certificados de aprovação da lei auxiliarão na captação de recursos para as edições de 2017 e 2018 do tradicional evento
 
Nesta terça-feira (18), a Comissão Organizadora do Akimatsuri recebeu oficialmente, das mãos do prefeito Marco Bertaiolli, os certificados de aprovação da Lei de Incentivo à Cultura de Mogi das Cruzes (LIC), que auxiliarão em parte das despesas para as duas próximas edições do tradicional evento da colônia japonesa, de 2017 e 2018.
Com os certificados, a organização do Akimatsuri poderá captar recursos de pessoas físicas e/ou jurídicas. Esses recursos poderão ser de até 20% do que cada parceria, física ou jurídica, pagaria ao município em IPTU e ISS, e poderão ser coletados em até 24 meses depois da aprovação do projeto. No caso do ISS, o requisitador deve procurar apoio em uma empresa prestadora de serviços sediada em Mogi das Cruzes.
 
O objetivo dos organizadores é atingir a captação de 400 mil reais, sendo 200 mil para cada edição da festa. É válido lembrar que, em 2018, o Akimatsuri celebrará os 110 anos da imigração japonesa no Brasil.
 
O presidente do Bunkyo e organizador do evento, Frank Tuda, comemorou a entrega dos certificados. “Com esse incentivo nós podemos organizar a festa de forma mais tranquila e com certo fôlego para captar patrocinadores”, disse Tuda.
 
Akimatsuri 2017
A próxima festa do Akimatsuri acontece nos dias 01, 02,08 e 09 de abril no Centro Esportivo do Bunkyo de Mogi das Cruzes. Será a 32ª edição da festa, cuja expectativa dos organizadores é continuar atraindo os 90 mil visitantes. Empresários e microempreendedores interessados em expor no festival podem entrar em contato com o Bunkyo pelo telefone 4791-2022. Há estandes para comercialização.
Sobre a Lei de Incentivo à Cultura.
 
Criada oficialmente em 2014 e regulamentada em 2015, a LIC iniciou seu processo de inscrições para projetos culturais no começo deste ano, e já teve 38 propostas aprovadas.
De acordo com Mateus Sartori, secretário de Cultura de Mogi das Cruzes, a lei veio para facilitar a realização dos projetos na cidade e traz benefícios econômicos em diversos níveis. “Essa lei possibilita que o artista, empreendedor, entidade ou empresa privada tenha formas de criar seus projetos culturais. E esses projetos contratarão pessoas, irão locar materiais e pagar cachê artístico, movimentando economicamente a cidade”, frisa. (Com informações da Linha Fina Assessoria de Comunicação)

Comentários no Facebook