Fiscalização fecha bares irregulares em Itaquaquecetuba

Foto: Antônio Márcio
Uma operação conjunta entre a Guarda Civil Municipal de Itaquaquecetuba (GCMI), Polícia Militar, Fiscalização de Posturas e departamento de trânsito culminou no fechamento de 3 bares irregulares por perturbação do sossego e falta de alvará especial. As investidas desta semana ocorreram nos bairros Jd. Odete e Caiuby.
 
Segundo o secretário de Segurança, Alexandre Siqueira, o objetivo dessas operações, que serão semanais, é fechar o cerco contra o som alto de estabelecimentos comerciais, bares irregulares, festas clandestinas e veículos conhecidos como pancadão. “Temos muitas reclamações de famílias sobre bares que ficam abertos até tarde da noite e com som alto, sem documentação e sem autorização, vamos combater essa prática”, comentou Siqueira.
 
De acordo com o chefe do setor de Posturas, Cláudio Roberto da Silva, as próximas operações terão o apoio do Conselho Tutelar devido a grande quantidade de menores em locais inadequados. “Nas próximas operações teremos a participação do Conselho Tutelar para nos ajudar com os menores que estão em casas noturnas, bares e festas regadas a muita bebida, som alto e drogas”, disse Silva.
 
Alexandre Siqueira informou que os locais onde eram encontradas aglomerações de pessoas nas ruas com aparelhagem de som ligada, havia a orientação para desligar o barulho e não incomodar os moradores da região.
“Em nenhum momento houve resistência, chegávamos e pedíamos para desligar o som, dessa forma os jovens que estavam no local se dispersavam. Nossas viaturas ficaram por um bom tempo fazendo ronda em locais com maior índice de reclamações”, comentou Siqueira.
 
Durante a operação também foram autuados veículos que estavam estacionados em locais proibidos e em cima de calçadas, próximos aos bares fechados.
Em Itaquaquecetuba existe uma lei que proíbe o funcionamento de equipamentos de som automotivos conhecidos como paredões de som nas vias públicas, praças, escolas estaduais, particulares, municipais, faculdades, postos de combustíveis, supermercados, conjuntos habitacionais e estacionamentos. (Com informações da Assessoria de Imprensa da PMI)

Comentários no Facebook