Pais e alunos protestam contra fechamento da EE Cícero Antônio de Sá Ramalho em Itaquá

Decisão do governo estadual de fechar escolas para separar alunos por ciclos é reprovada por comunidade

Pais e alunos protestaram ontem (05/10) em Itaquaquecetuba, contra o fechamento da Escola Estadual Cícero Antônio de Sá Ramalho. Há cerca de três semanas, eles foram comunicados sobre o fechamento da unidade e a transferência de cerca de 900 alunos, por conta do novo plano da secretária de Educação de separar alunos de acordo com os ciclos de ensino.

O fechamento da escola está enquadrado no que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) vem chamando de reestruturação do ensino público: fechar vagas noturnas nas escolas estaduais, separar fisicamente as escolas de Ensino Fundamental das escolas de Ensino Médio, o que poderá render turmas superlotadas, como é a preocupação Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo)

Segundo o sindicato dos professores, parte destes estudantes vai ser remanejada para uma unidade que fica localizada em outro município. Para os pais, a atitude do governo é arbitrária e coloca em risco a segurança dos próprios alunos. “A escolas que eles querem levar o filho da gente é muito longe”, reclama a mãe Ilda Maria da Silva.

O aluno Luiz Guilherme Silva, que também participava do protesto, conta que a transferência para outra escola vai trazer prejuízos. “Nossa mãe não tem condição de pagar perua para nós, e o governo não dá aquelas vans escolares. Agora, nós vamos ter que estudar em outro lugar. Mais longe daqui. Vai ficar ruim para nós”

O remanejamento também deve significar demissões. “Os professores estão inseguros, mesmo porque são mais de 70 professores, aqui nessa escola, e ninguém sabe ainda como vai ficar a situação funcional”, diz Maria de Lourdes Rafael, coordenadora da Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp).

12115941_825189134246724_134844166168038565_n


Comentários no Facebook