PTN expulsa Mamoru Nakashima

Em novembro Mamoru foi inocentado da acusação de improbidade. Uma das questões que levou o Juiz a inocenta-lo é "um vácuo legislativo sobre quais cores usar" em prédios públicos.

Partido alegou falta de ética do Prefeito e verificou vários contratos julgados irregulares pelo Tribunal de Contas do Estado

Marcello Barbosa

O Diretório Estadual do Partido Trabalhista Nacional (PTN) expulsou no dia 02 de junho o prefeito de Itaquaquecetuba Mamoru Nakashima.

De acordo com o advogado do PTN, Bruno Cristaldi, apesar de caber recurso, o procedimento de expulsão é interno e não depende da decisão de um juiz eleitoral. “No trâmite de expulsão, informamos o então filiado sobre a decisão do partido e também informamos o Tribunal Superior Eleitoral. Como o procedimento é interno, não é necessário que um juiz acate o pedido. Cabe a ele analisar a relação entre filiado e partido e definir outros desdobramentos”. Mamoru Nakashima disse que não vai recorrer de expulsão.

A decisão foi tomada pelo Conselho de Ética do Partido, segundo Nota publicada “[o filiado] contrariou o programa e o estatuto do partido, demonstrando ausência de predicados éticos necessários para a sua continuidade no partido”.

Outra questão apresentada pelo PTN segundo a Nota Oficial enviada a imprensa é que o prefeito teria “assumido comportamento público que desrespeita eleitores, moradores e fere o princípio de fidelidade partidária”.

O PTN argumentou que o prefeito “favoreceu outras siglas em detrimento da atual”. A nota afirma que “Publicamente, [Mamoru] porta-se flertando com o PSD, tanto que em reportagens na mídia local se declara ‘de malas prontas’ para se mudar para o PSDB”.

Um fator determinante para expulsar Mamoru foi a falta de transparência do Prefeito como administrador público, o advogado do PTN apontou que “O partido vinha acompanhando seu mandato e verificou vários contratos julgados irregulares pelo Tribunal de Contas do Estado, como o de coleta de resíduos sólidos e de transporte escolar. Estes e outros contratos somam mais de R$ 50 milhões de prejuízo por má administração. O PTN entrou em contato com o prefeito, solicitando um parecer sobre estes contratos com base na Lei da Transparência, mas nenhum documento foi enviado. Como o prefeito já não cumpria suas tarefas partidárias dentro do diretório municipal, além de aparecer na imprensa local assediando o PSDB, vimos que o comportamento é incompatível com o histórico do partido”.

Na edição 85 do Jornal Contraponto, a reportagem detalhou as decisões do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) que apontavam irregularidades em dois contratos firmados pelo Prefeito Mamoru Nakashima. Somados o valor dos contratos ultrapassam os R$ 15 milhões. O prefeito também foi multado.

Mamoru alega não ter sido ouvido

Em coletiva de imprensa realizada no Gabinete do Prefeito no dia 03 de junho, Mamoru Nakashima alegou que o PTN não lhe concedeu o direito de defesa nesse processo. “Me apresente um protocolo de que fui avisado, de que fui notificado de todo o processo. Em nenhum momento fui ouvido. Como procedeu essa expulsão?” alegou Mamoru.

Durante a coletiva Mamoru comentou sobre a participação do PTN no Govenro. “Desde que eu sou Prefeito, o PTN teve participação no Governo, mas ele se ausentou. Apoiamos a presidente do PTN [Renata Abreu] na eleição para Deputada e até hoje ela não veio conversar comigo sobre ajudar a Prefeitura.” Segundo Mamoru “O PTN em nenhum momento ajudou a Prefeitura, o PTN não trouxe nada para a cidade.”

Sobre as irregularidades em seu Governo

Mamoru Nakashima nega qualquer irregularidade em seu Governo, mas ao contrário do que ele diz já existem 02 processos do Tribunal de Contas do Estado apontando irregularidades e inclusive multando o prefeito, além de outros processos que estão sendo julgados pelo TCE e pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Sobre os vereadores do PTN

Curiosamente Mamoru Nakashima durante toda a coletiva falou da bancada de vereadores do PTN em Itaquaquecetuba se referindo aos dois vereadores eleitos pela sigla (Carlinhos do Bar e Wilson Pirata), em especial disse que os dois poderiam julga-lo melhor do que o Diretório Estadual do Partido, mas esqueceu de citar o vereador Rolgaciano Fernandes como integrante da sigla.

Sobre a nova filiação partidária

De acordo com Mamoru Nakashima “todos” os partidos o convidaram para se filiar e ele não descarta convites (com exceção do PTN), o critério de escolha será o Partido que se comprometer em enviar recursos para a cidade, inclusive citou conversas com o PTB, PSD, PPS e PSDB com o objetivo de trazer mais verbas para a Prefeitura. O prefeito ressaltou que teve convites do PSDB, PMDB, PTB, PSB, PSD e PPS e questionado sobre o PR (partido do ex prefeito Armando da Farmácia), Mamoru não descartou dialogar.


Comentários no Facebook