Quarta edição do Festival de Arte Popular do Alto Tietê começa nesta sexta-feira (01/04)

Nesta sexta-feira (01/04) terá início a quarta edição do Festival de Arte Popular do Alto Tietê, uma realização da Casa do Congado e Malungada Produtos Culturais, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura. O evento, que se estende até o dia 7 de maio, envolve as cidades de Suzano, Guararema, Arujá, Poá e Santa Isabel. A programação, que se dilui por 13 espaços, tanto públicos como privados, reúne teatro, dança, música, circo, filmes, oficinas, exposição fotográfica, workshop, além da tradicional coroação do Rei do Congo.

O espetáculo de abertura do Festival é “Mãe Coragem”, mais uma das montagens anuais realizadas pelos alunos da AJPS. Baseado na obra de Bertolt Brecht, ele traça a história de Ana Fierling, mascate que em meio a guerra tenta levar a vida sobrevivendo a investidas da fome, conflitos e ainda cuida de seus filhos. A montagem tem direção de Priscila Nicoliche e conta com dança, música, teatro, acrobacias solo e aéreas. A apresentação é gratuita, nesta sexta-feira (01/04), a partir das 20 horas no Theatro Vasques.

Veja a programação completa

Outra atração que abre no dia 1º de abril é a exposição “Congada Popular Brasileira”, projeto criado pela Casa do Congado e realizado desde 2012, com o objetivo de colocar em destaque os grupos de Congada e Moçambique de Mogi das Cruzes. Neste ano, em que chega à sua quinta edição, a mostra tem a participação pelo segundo ano consecutivo de Danilo Duvilierz, com temas clicados entre os anos de 2014 e 2015 e participa dela pela primeira vez Pedro Chavedar, jornalista mogiano ligado ao coletivo Everyday Mogi. A mostra será montada no Casarão da Mariquinha e fica aberta até o término do festival.

Já neste sábado (02/04) o público poderá conferir, pela programação do Festival, “Cante Lá Que Eu Canto Cá”, um espetáculo musical inspirado na vida e na obra do poeta Antônio Gonçalves da Silva, mais conhecido como Patativa do Assaré, uma das principais figuras da música nordestina do século XX. A produção conta com canções de Chico Buarque, Nelson Cavaquinho e Luis Gonzaga, que dialogam com a obra de Patativa, com suas reflexões e a arte de versejar, com o sertão, a cidade e a alegria que é a vida. A apresentação, também gratuita, é a partir das 20 horas, no Centro Cultural de Mogi das Cruzes.

O Festival de Arte Popular segue com um amplo ciclo de oficinas, shows musicais, apresentações de cine documentários, intervenções circenses e workshop até o dia 7 de maio. Criado em 2013 por Déo Miranda, o Festival de Arte Popular do Alto Tietê já se consolidou como um dos maiores eventos culturais da região. Ele atende ao processo de salvaguarda de tradições populares das congadas e acabou se tornando um evento de múltiplas linguagens artísticas.


Comentários no Facebook