Sistema Alto Tietê se eleva e vai para 14,3%, de acordo com Sabesp

O volume das represas da região do Alto Tietê registra nova elevação na quinta-feira (10/09), segundo levantamento da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

No dia anterior era de 13,8%, chegou a 14,3% nesta quinta. Mesmo sem registros de chuva nesta quarta, o aumento pode estar relacionado ao temporal ocorrido na terça, quando a pluviometria foi de 57,3 mm, a maior do ano, segundo dados da Sabesp Para setembro, a previsão era de 81,8 mm. O índice superou em 11% a previsão de chuvas, totalizando até esta quarta-feira, 91,2 mm. No mês passado, porém, agosto chegou ao fim com a pluviometria 49% menor do que a esperada para o mês.

Na mesma data, no ano anterior, o volume armazenado era de 14,4% e a pluviometria acumulada do mês era de 27,3 mm.

No dia 18 de agosto, o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) publicou uma portaria em que classifica como crítica a situação hídrica na Bacia do Alto Tietê. Segundo as informações do Diário Oficial, com a medida, ações deverão ser adotadas para assegurar a disponibilidade hídrica. Segundo o Ministério Público, admitir o estado crítico abre a possibilidade para adoção de rodízio. Já o governador Geraldo Alckmin (PSDB) informou que tratou-se apenas de uma “resolução burocrática normal”.

Desde dezembro de 2013, a água da região é utilizada para abastecer parte dos moradores antes atendidos pelo Cantareira em bairros como Penha, Cangaíba, Vila Formosa, Vila Maria e parte da Mooca.

De acordo com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), a população atendida pelo sistema cresceu de 3,8 milhões de pessoas para 5 milhões, com apenas 4,2% da capacidade. O volume das represas aumentou do início do ano até maio, quando atingiu o pico de 2015 de 23,3% no dia 14. Desde então tem sofrido sucessivas quedas.


Comentários no Facebook