Vença a eleição em 2020 com as lições de La Casa de Papel

*Por Marcello Barbosa

Antes de começar o “mimimi” , peço que não leve ao pé da letra a comparação da série “La Casa de Papel” com a disputa eleitoral de 2020, observe esta comparação como metáforas, como lições da série de uma forma geral.

O enredo da série gira em torno de um grupo bem organizado que tem como líder “El Professor” com o objetivo de assaltar a Casa da Moeda da Espanha. Mas para que isso aconteça, este time cria grandes estratégicas. E essa estratégia podemos usar para nosso cotidiano e claro podemos usar nas eleições 2020.

Planejamento Detalhado

“El Professor” pensou cada detalhe e planejou cada ação antes de executa-la, ele não foi a campo sem saber o que fazer. O pré-candidato deve ter o mesmo em mente. Ele deve começar 2020 com um planejamento detalhado do que fará até a véspera do dia da eleição (04/10), ou seja deve planejar sua pré-campanha e sua campanha, pensar ações, estratégias, público, alinhar discurso e etc. Se ele acordar de manhã sem saber o que vai fazer naquele dia, algo muito errado está acontecendo.

Apoie sua equipe

Não existe líder sem equipe. Para que o Planejamento citado possa ser executado, precisamos de muitas cabeças pensantes e mãos para “fazer acontecer”. O pré-candidato deve valorizar seu time. Ele deve motiva-la de forma constante para que todos possam se doar a causa que é a vitória eleitoral. Equipe desmotivada não produz e quando produz não dá o resultado necessário. Em “La Casa de Papel” o Professor está sempre atento as necessidades de sua equipe, mesmo distante permanece “online” dirigindo e motivando todos.

Antecipação de Cenários

Seja futurista. Na série, o Professor é um jogador de xadrez, neste jogo ele deve antecipar cenários para vencer e com esta mesma técnica ele trabalha em seu plano. Isso significa que o pré-candidato deve exercitar a prática de visualizar cenários futuros. Lembre-se daquela expressão clichê “leitura de conjuntura”.

Assuma riscos e mantenha o equilíbrio

Quando você se coloca como pré-candidato você já assumiu o primeiro risco. A partir daí você viverá meses onde o equilíbrio entre a razão e a emoção será o fiel da balança para que as coisas funcionem. Você assumirá riscos políticos como escolher um bom partido que lhe garanta viabilidade eleitoral, riscos financeiros, pois com certeza seu bolso será mexido neste processo e riscos morais, pois se você é um candidato competitivo, vão te atacar. Em “La Casa de Papel”, o Professor arrisca sua própria vida em diversos momentos para que possa alcançar o objetivo de seu Plano.

Improvisos

Você planejou, motivou sua equipe, antecipou e avaliou cenários, assumiu riscos… Mesmo assim nem tudo vai sair como esperado! É natural, por isso na campanha você terá momentos de improviso, mas para você ser acertivo basta improvisar com frieza, mantendo a calma e repetindo as regras já citadas aqui. Para um bom improviso é necessário conhecimento.

Integridade e Princípios

Em “La Casa de Papel”, mesmo o Professor tramando um assalto ele possui princípios, ele mantém a integridade, como por exemplo preservar a vida das pessoas. Ele possui um elevado senso de honra. No jogo eleitoral a regra é a mesma, se você não possuir princípios e limites, você pode vencer, mas com certeza não levará, você chegará em primeiro mas terá tantos problemas que não vai compensar.

Para finalizar, lembre-se de duas frases da série: “O tempo não para. E também não volta atrás.” e “O erro de todo plano é achar que tudo vai dar certo!”

*Marcello Barbosa é Jornalista e Consultor em Marketing Político Eleitoral. Atualmente é Diretor da Agência Floriano Comunicação Integrada, franqueado da Agência Web4 Comunicação em Itaquaquecetuba e Guarulhos e Diretor do Portal de Notícias Região em Contexto.


Comentários no Facebook